30 setembro 2014

Fotografando: Liza - 18 anos.

Semana passada foi aniversário de uma pessoa que gosto bastante. A Liza é minha prima emprestada, uma pessoa maravilhosa e muito querida por todos. No dia de seu aniversário de 18 anos, fomos até a casa antiga da minha avó, na roça, pra tirar umas fotos. Ela se prontificou a ser minha primeira cobaia, já que nunca tinha fotografado alguém dessa forma antes. E a responsabilidade?! O medo das fotos não ficarem legais?! Mas acho que o resultado foi bacana para uma primeira vez.  A gente planejava tirar com mais uma roupa em mais um lugar, mas acabou não dando certo. Agradecimento especial ao meu esposo, que me ajudou em vários momentos, indicando ângulos, lugares etc.


É isso, Sei que ainda é muito amador, mas eu sou amadora, então... Rs!
Espero que tenham gostado!

23 setembro 2014

Fotos aleatórias dos últimos meses!

Ao longo desses meses que fiquei fora do blog, eu comprei uma câmera nova, como já disse aqui antes, e comecei a praticar. Eu decidi publicar algumas das fotos que tirei durante esse tempo, só pra não ficar com elas paradas aqui no computador, rs. Vou mostrar um pouco dos meus primeiros cliques pra vocês e, mais uma vez, relevem os erros da iniciante aqui!

Zé Geraldo. (Sem edição)

 Foto tirada no mesmo dia das do último post.

 Irmãs lindas!

Até o próximo post!

Ps: As fotos não estão ficando com qualidade total, será que é porque eu não estou hospedando online, gente?

21 setembro 2014

Fotografando: Enzo - 7 meses

Dia desses eu tava na casa da minha avó, que mora na roça (ou no campo, como preferir). Tinha levado minha câmera e estava fotografando umas flores, quando minha tia pediu para que eu tirasse umas fotos do filho dela, que acabou de fazer 8 meses. Sem planejamento nenhum, eu peguei um banquinho, fui para a sombra de uma árvore e fotografei de improviso. Mas não é que eu até gostei do resultado final?! Claro que as fotos de um fofo desses não poderiam ficar ruins. Ele estava até sério no começo, mas quando minha tia começou a cantar "galinha pintadinha" ele se soltou, haha. 

Tava meio zangado!

 Mas depois se soltou, rs!


Não é lindo, gente? A prima ama demais!

Espero que tenham gostado :)

19 setembro 2014

Meu conto cabelístico: Mudança radical!


Era uma vez, uma jovem da Bahia cujos cabelos eram longos e fortes. Um belo dia, ela acordou decidida a mudar radicalmente. kkkk Brincadeiras a parte, quem me acompanhava antes aqui no blog deve ter reparado de cara no meu novo corte. A história dessa mudança é, na verdade, bem simples. Eu tinha os cabelos longos, na cintura, e eu já havia pintado 2 anos atrás. Quando eu pintei eu fiz apenas algumas luzes da metade do cabelo pra baixo, e gostei bastante do resultado. A questão é, um dia eu acordei, me olhei no espelho e não gostei nada do aspecto do meu cabelo. As luzes já tinham quase completamente desaparecido e ele estava sem cor, sem corte, sem graça. Pensando no que poderia ser feito, uma ideia surgiu. E se eu cortasse ele bem mais curto, tirasse todo aquele peso que eu carregava a tantos anos. Alimentei essa ideia e, na mesma manhã, a passei pro cabeleireiro. Ele concordou que ficaria bacana e eu decidi que seria feito. Dois dias depois, voltei ao salão já preparada. Na hora que vi meus cabelos caindo, escorrendo pelos meus ombros, foi um choque. Lágrimas vieram aos meus olhos, mas rapidamente foram embora quando vi o resultado final. Amei! Fiquei agradecida por ter encarado a mudança.

ANTES:

Gostei muito do resultado. Se tem alguma coisa que você sempre quis fazer no seu cabelo e não o agride quimicamente, faça, ouse! Procure um bom profissional, veja se isso realmente combina com você e se arrisque. Não tenha medo. Se eu tivesse esperado mais alguns dias pra cortar, se eu tivesse me permitido refletir um pouco mais, talvez eu não tivesse tido coragem. Mas ainda bem que tive.

 Mesma blusa da foto anterior =P. A primeira foto publiquei no instagram (@karenaraujo7) 4 dias depois de cortar, 3 meses atrás. A segunda tirei há 3 semanas. Reparem como já cresceu!


Algumas pessoas amaram, outras disseram que iam me matar porque "meu cabelo era tão lindo, não acreditavam que eu tinha feito aquilo com ele". Mas afinal das contas, cabelo cresce, a vida continua e o mais importante é estar feliz consigo mesma.